Estado espera receber nova remessa de CoronaVac até quarta-feira

A Secretária de Estado de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES) ainda não recebeu informações de quantas doses receberá na oitava remessa de vacinas contra Covid-19 para o Estado que está prevista para chegar na próxima quarta-feira.

Na manhã desta segunda-feira (15) o Instituto Butantan entregou  3,3 milhões de doses da vacina CoronaVac ao Ministério da Saúde. Com o novo quantitativo de imunizantes, o ministério se prepara para fazer a distribuição pelos estados brasileiros, que deve ocorrer entre terça e quarta.

De acordo com o secretário de estado de Saúde, Geraldo Resende, o ministério ainda não informou quanto o Estado irá receber, nem quando.

“O ministério da saúde ainda não nos informou quantas doses receberemos, eles devem avisar no final do dia, já o recebimento deve ocorrer na quarta-feira, toda vez que o ministério recebe  vacina na segunda, como aconteceu agora com  a entrega do Butantan de 3,3 milhões de doses no início da semana, consequentemente elas chegam no meio da semana para o Estado”, informou.

Segundo Resende, as vacinas devem chegar na quarta-feira e Campo Grande e uma operação de distribuição deve ocorrer na madrugada de quinta para que todos os municípios tenham as novas doses o mais rápido possível.

Vacinação em Campo Grande

Profissionais da área da saúde acima de 50 anos podem receber a 1ª dose da vacina hoje (15) e idosos de 77 anos podem tomar a 2ª dose nesta segunda-feira na Capital. Com a chegada da sétima remessa com 30,6 mil doses na última terça-feira (9), a Prefeitura Municipal de Campo Grande (PMCG) ampliou a faixa etária de vacinação.

Nesta etapa, abrangem trabalhadores de saúde os profissionais de clínicas de diagnóstico, laboratórios, farmácias, consultórios, clínicas veterinárias, centros de tratamento oncológico e pequenos hospitais, desde que possuam 50 anos ou mais.

Nesta etapa, abrangem trabalhadores de saúde os profissionais de clínicas de diagnóstico, laboratórios, farmácias, consultórios, clínicas veterinárias, centros de tratamento oncológico e pequenos hospitais, desde que possuam 50 anos ou mais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here