Após 48h, bloqueio é suspenso e caminhões voltam a cruzar a fronteira

Após mais de 48 horas, manifestantes suspenderam o bloqueio realizado na cidade de Puerto Quijarro reivindicando a reabertura da fronteira da Bolívia com o município de Corumbá, distante 420 quilômetros de Campo Grande.

Realizada próximo a linha internacional, a manifestação impediu, desde meia-noite da última segunda-feira, a passagem do transporte de cargas, único setor autorizado a cruzar os dois países desde o início da pandemia.

De acordo com o jornal Diário Corumbaense, um dos representantes do manifesto, Marco Antonio Alcocer afirmou que já são cinco meses com a fronteira fechada e que algumas pessoas passam por necessidade. Ele também questiona a autorização para apenas caminhões atravessarem a fronteira: “se eles cruzam, também correm o risco de trazerem ou levarem o vírus para os dois lados”.

Conforme o manifestante, o bloqueio não teve o intuito de pressionar autoridades brasileiras, mas, as autoridades bolivianas para abertura de diálogo com os comerciantes. Ontem, a fila de caminhões chegou próximo à cidade de Puerto Suárez.

Reunião entre autoridades bolivianas com representantes da mobilização decidiu pela suspensão do bloqueio até a próxima sexta-feira (04), data em que as autoridades devem apresentar alguma solução para o impasse.

Transição – Decreto da presidência da Bolívia, publicado nesta terça-feira, 01 de setembro, estabelece a transição da quarentena para a fase pós-confinamento, estabelecendo as medidas com vigilância comunitária ativa dos casos de coronavírus.

Entre as medidas, excepcionalmente, é permitido o trânsito de pessoas nacionais ou estrangeiras e a abertura de atividades comerciais em municípios fronteiriços, após coordenação com os países vizinhos.

As pessoas que ingressam no país por esses municípios fronteiriços devem fazer a apresentação do certificado negativo de análise da covid-19.

Por meio de Resolução do Ministério da Defesa, Governo e Relações Exteriores, serão definidos os municípios fronteiriços, responsáveis pelo trânsito de pessoas nacionais ou estrangeiras e a abertura de atividades comerciais.

Apesar de os manifestantes exigirem a abertura da fronteira, do lado brasileiro existe portaria do governo federal que restringe, por mais 30 dias, a entrada de estrangeiros em território brasileiro.

– CREDITO: CAMPO GRANDE NEWS

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here