Deputados dizem que só as reformas não resolvem crise na economia

Os deputados entendem que as reformas administrativa e tributária darão equilíbrio e organizam ao País, mas que sozinhas não alavancam a economia nacional. Eles alegam que o governo federal precisam de medidas mais efetivas, para gerar mais empregos e movimentar a produção do Brasil.

Diante da queda das bolsas de valores, aumento do dólar e instabilidade da economia devido ao novo coronavírus, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o governo federal estava “sereno” e que a melhor resposta à crise seria o andamento das reformas estruturais, sem mencionar se haveria medidas adicionais a serem adotadas.

“São importantes (reformas), mas elas não vão consertar o Brasil, para isto o governo federal precisa sentar na mesa e fazer um novo pacto federativo, que tenham resultados na economia”, disse Eduardo Rocha (MDB). Ele ainda ponderou que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) precisa governar mais e parar com “bravatas”.

Felipe Orro (PSDB) acredita que o foco precisa ser a geração de empregos. “Se tiver esta ampliação, vai aumentar a renda da população e a economia irá crescer, já que as reformas tem resultados a longo prazo, não agora”, disse o tucano. Já João Henrique Catan (PL) entende que o desafio é manter a meta de crescimento. “Manter o caminho e planejamento”.

Renato Câmara (MDB) ponderou que na economia globalizada, qualquer impasse ou queda de bolsa ou preços têm efeitos no restante dos países e que o importante é controlar (economia) os impactos locais. “Não é uma transformação da água para o vinho, precisa-se de tempo”.

Já José Carlos Barbosa (DEM) entende que as reformas atenuam a questão financeira, mas que outras medidas precisam ser tomadas a nível nacional. “Já venderam a ideia nas outras reformas que seriam as salvadoras da pátria, no entanto precisamos destravar a economia, gerar emprego”.

Fonte: Campo Grande News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here