Setor produtivo terá R$ 450 milhões para impulsionar economia de MS

Com a expectativa de movimentar a economia de Mato Grosso do Sul neste fim de ano, o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal anunciaram na tarde desta segunda-feira (21), em Campo Grande, a disponibilização de R$ 450 milhões em linhas de crédito para as micro, pequenas e médias empresas do Estado utilizarem como pagamento do 13º salário e capital de giro.

Serão pelo menos R$ 250 milhões são oriundos de linhas de crédito da Caixa e R$ 200 milhões do Banco do Brasil via financiamento do FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste).

Segundo o presidente da Fiems (Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso do Sul e do Conselho Deliberativo do Sebrae), Sérgio Longen, os recursos vão ajudar a alavancar a economia do Estado.

“Entendemos que este é um momento muito significativo na retomada da economia. Mato Grosso do Sul vem se consolidando em todos os setores e pensamos de que forma poderíamos alavancar ainda mais a economia e conversamos com os representantes do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, dois parceiros que têm contribuído para o desenvolvimento do nosso Estado”, afirmou. “São ações importantes para alavancar ainda mais a atividade econômica do Estado. É um momento muito positivo na retomada da economia”, completou Longen.

Só no FCO Empresarial, ainda estão disponíveis para Mato Grosso do Sul R$ 200 milhões, mas o prazo de solicitações termina no dia 14 de novembro. “Até agosto deste ano, já registramos 1.750 operações do FCO Empresarial e ainda temos recursos disponíveis para essa modalidade. Estamos aproveitando para anunciar uma linha especial que é o FCO Giro 13º salário, com taxas atrativas para os empresários”, acrescentou o superintendente do Banco do Brasil, Sandro Grando.

O superintendente da Caixa Econômica Federal, Evandro Lima, explicou que o banco disponibiliza para os micro e pequenos empresários R$ 250 milhões em linhas de crédito específicas para 13º salário.

“A linha 1 com recursos do PIS (Programa Integração Social), com taxas de 0,83%, a linha 2 com recursos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e também acessível a qualquer cliente, e linha 3, com recursos próprios da Caixa e taxa de juros a partir de 0,95% ao mês. Temos condição de atender qualquer empresa que nos procurar”, detalhou.

Ele ainda reforçou que, somado a esse valor, a Caixa Econômica Federal também injetará, até o fim do ano, R$ 430 milhões referentes ao saque imediato do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço).

“Já foram liberados R$ 215 milhões e, até dezembro, serão mais R$ 215 milhões. Isso é uma forma de dinamizarmos a economia porque são valores pequenos que as pessoas sacam em dinheiro e que têm, portanto, uma aderência muito grande no comércio e nos serviços, dando de fato maior celeridade à economia neste final de ano. Queremos movimentar a economia, gerar emprego e renda neste período através de empréstimos e financiamentos”, completou.

O secretário estadual de Governo, Eduardo Riedel, ressaltou que Mato Grosso do Sul conquistou o 5º lugar entre os Estados mais competitivos no Prêmio Excelência em Competitividade 2019. “E isso tem muito a ver com o que está acontecendo aqui hoje. Quando temos instituições públicas e privadas unidas e buscando o mesmo objetivo, que é o desenvolvimento do nosso Estado, conquistamos bons resultados e nossa população passa a se sentir respaldada e com confiança para investimentos”, finalizou.

Fonte: Campo Grande News

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here