Mais de 200 mundonovenses se fizeram presentes na Audiência Pública da Nova Ferroeste

#Semcos#IndústriaeComércio

Na última quarta-feira (18), no Salão dos Navegantes em Guaíra (Pr), mais de 200 mundonoveses se fizeram presentes na Audiência Pública para Apresentação do EIA/Rima (Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental) da Nova Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S/A).

A Audiência é uma oportunidade de apresentar o estudo feito pela empresa para a sociedade e debater sobre o mesmo e a obra, que pretende estender à atual Ferroeste (Cascavel – Guarapuava) até Foz do Iguaçu e até Maracaju (MS).

O representante do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), Antônio Celso, explicou que a órgão ainda não aprovou ou desaprovou o estudo e que a Audiência serve para apresentação do mesmo para os municípios que serão impactados pelos trilhos da empresa.

Mais de 600 pessoas presencialmente e quase 200 virtualmente participaram do encontro, que abrangeu Guaíra, Mundo Novo, Terra Roxa, Nova Santa Rosa, Iguatemi e Eldorado. De Mundo Novo, presença do prefeito Valdomiro Sobrinho, dos vereadores Kaudi Filho e Eliete Tell e de vários secretários, diretores e coordenadores municipais.

“TERMINAL DE CARGAS É DISCUSSÃO PARA OUTRO MOMENTO”, DIZ PRESIDENTE DA FERROESTE

Durante o evento foi apresentado vídeo e explanação, apontando, inclusive, alguns polos regionais, como Maracaju, Amambai e Guaíra. Isto gerou certo desconforto nos mundonovenses, que pleiteiam um Terminal de Cargas Intermodal de Grãos e já entregaram o estudo – contratado junto ao Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) – para a empresa.

O diretor-presidente da Ferroeste, André Gonçalves, explicou que os polos apontados não são necessariamente as sedes dos terminais e que apenas foram apontados pelo estudo como referência. Apontou que após os contratos serem apresentados na Bolsa de Valores – indicado para o 2º semestre – é que os investidores vencedores irão analisar os locais mais viáveis.

Na reunião em Dourados, realizada dois dias antes, Dourados também requereu ser sede de um Terminal de Cargas. “Único local garantido é Cascavel, até por ser sede da Ferroeste”, afirmou Gonçalves.

A sequência dos encontros foi Cascavel (19) e será Paranaguá (23), São José dos Pinhais (24), Guarapuava (26) e Irati (27). A ligação por trilhos até o Porto de Paranaguá terá ao final da obra, mais de 1.300 Km de ferrovia.

Texto e reportagem: Jandaia Caetano/SemcosImagens e edição: Carina Yano/Semcos

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here