Deputado Paulo Corrêa intermedia debate sobre recuperação econômica do setor de bares e restaurantes

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), deputado Paulo Corrêa (PSDB), participou, na noite desta segunda-feira (18), de uma rodada de discussão sobre as estratégias necessárias para recuperação econômica do setor de bares e restaurantes. O debate aconteceu na sede da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (FIEMS), e reuniu diversos empresários do segmento, além de autoridades estaduais.

Na ocasião, Paulo Corrêa destacou a oportunidade de alinhamento de discurso, afirmando que a Assembleia Legislativa dará todo suporte necessário para minimizar os impactos da pandemia sobre o segmento. “Contamos com a sensibilidade do governador Reinaldo Azambuja, e o que tiver de lei para fazer, vamos fazer. Precisamos construir políticas públicas que ajudem o setor’’, pontuou.

Essa foi a primeira de uma série de encontros que vão ocorrer também em Bonito, Corumbá, Dourados e Três Lagoas. As reivindicações serão levadas ao Governo do Estado, prefeituras e às subsidiárias de água, energia e gás.

Conforme o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, o Estado está ciente dos problemas enfrentados e que serão discutidos com o Executivo pontos como IPVA, ICMS e horário de funcionamento.

“É preciso reduzir a base de cálculo do setor, não adianta apenas dar desconto. Também é preciso tratar sobre o IPVA da frota de bares e restaurantes. E esses pontos dependem de matemática. Ou seja, saber até onde o Estado pode renunciar. Agora, o ponto mais sensível é o horário, porque estamos tratando sobre a saúde”, afirmou.

Titular da Semagro, Jaime Verruck adiantou que legislações específicas para beneficiar o setor serão analisadas. “O governador nos autorizou a olhar para o setor e vamos levar as ideias discutidas hoje aqui, que foram excelentes, para discutir também com a Secretaria de Fazenda”, contou.

Veruck também adiantou que o Estado está estudando a renegociação do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO), que os empresários já têm direito. Por parte do Sebrae, será estudado o cadastramento dos motoentregadores e será disponibilizada a análise da capacidade de pagamento para enquadramento no Pronamp (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte), que será reaberto, como especificou o superintendente do Sebrae, Cláudio Mendonça.

Agora, o próximo passo será ouvir artistas e, da mesma forma, apontar caminhos em conjunto com entidades e executivos municipais e estadual, de auxílio à categoria.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here