Morta com 20 facadas, vítima de feminicídio já havia relatado agressões constantes por parte do marido

José Leomar Bezerra de Souza, preso em flagrante como principal suspeito do feminicídio da esposa, Viviane Oliveira de Jesus, agredia a vítima com frequência. Pelo menos é o que apontam depoimentos em ação criminal aberta contra ela há cerca de cinco anos, quando a mulher chegou a ser presa após deixar o marido gravemente ferido com uma facada.

Na oitiva, Viviane alegou à Polícia Civil que agiu para se defender, já que estava cansada de apanhar. Os filhos dela confirmaram a versão em depoimentos tamvém tomados pela Polícia Civil, à época.

O casal estava junto desde 2014, residindo em Sonora. No dia 9 de agosto de 2016, Viviane levou vários socos e reagiu, desferindo um golpe de faca nas costas de Leomar – o marido precisou ser encaminhado às pressas para um hospital do Mato Grosso, na cidade de Rondonópolis. Presa, ela relatou ser alvo de agressões frequentes, especialmente aos finais de semana, quando o marido retornava do trabalho na fazenda. A principal reclamação dela era com o consumo de álcool.

Naquela ocasião, a mulher disse aos policiais que o marido bebia muito e que chegava a consumir, em média, de um a dois litros de pinga por dia. Ela afirmara que ele era alcoólatra e que precisava se tratar, mas ele sempre respondia de forma violenta. Em outras ocasiões, avançava contra ela por ciúmes, em razões de posts e comentários que ela fazia nas redes sociais. Naquele dia 9 de agosto de 2016, o casal teve uma séria discussão relacionada ao excesso de álcool.

Na ocasião, Viviane explicou que estava em casa, tomando sua cerveja, e o marido a acompanhava, bebendo pinga. Em dado momento, Leomar começou a entrar e sair da casa de uma vizinha, onde morava um amigo. Desconfiada de que ele pudesse estar consumindo drogas no local, Viviane o questionou. Como sempre, ele reagiu de forma agressiva e passou a agredi-la. Com uma mão a segurava pelos cabelos e com a outra a socava no rosto.

A violência era tanta, que ao perceber que Leomar estava se aproximando de uma faca no balcão da cozinha, Viviane ciente de que poderia ser esfaqueada, conseguiu pegar o objeto primeiro e dar um golpe nas costas, perto do pescoço de Leomar. O homem fugiu do local sangrando, mas a mulher foi atrás para socorrê-lo. Ela ainda fez questão de dizer aos policiais que apenas queria dar um susto e que não tinha intenção de matá-lo.

Os três filhos dela, duas meninas e um menino, disseram à época que eram tratados com rispidez pelo padrasto, bem como o homem agredia constantemente a mãe deles e dizia, sem nenhum remorso, que um dia iria matá-la. Viviane foi denunciada pelo MPMS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul) no dia 17 de março deste ano e, no dia 29 do mesmo mês, o juízo da Comarca de Sonora recebeu a denúncia.

Ela respondia em liberdade. O casal se separou várias vezes e, apesar de tudo, acabava voltando. Tanto que estiveram juntos até este sábado, dia 24 de abril de 2021, quando Leomar matou Viviane com aproximadamente 20 facadas.

Feminicídio

O crime teria sido cometido durante uma discussão envolvendo pedido de senha de cartão bancário. Por volta das 15 horas, a Polícia Civil e a Polícia Militar foram acionadas para atendimento da ocorrência na Vila Correntes. As informações eram de que uma mulher havia sido esfaqueada e o autor estava fugindo a pé. O homem foi encontrado com vestígios de sangue e foi preso.

O crime ocorreu na frente da filha da vítima. Informações são de que durante uma discussão, a garota tentou intervir, sendo agredida pelo padrasto. Neste momento, a mãe dela interferiu, ocasião em que foi esfaqueada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here