Pandemia deve diminuir até 20% dos diagnósticos de câncer de mama em 2020

Quando o assunto é o câncer, diagnosticar cedo um paciente pode ser a diferença entre uma recuperação tranquila e momentos de sofrimento prologado. Com a chegada da pandemia, o Hospital do Câncer Alfredo Abraão (HCAA) estima queda de até 20% no número de novos diagnósticos para 2020.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a estimativa de novos casos para 2020 seria de 66 mil no Brasil, 850 deles em Mato Grosso do Sul, dos quais 280 em Campo Grande. Esse número deve ser menor exatamente por causa do Covid-19.

De acordo com o Diretor Técnico, Gustavo Ianaze, “nós estimamos que deve haver queda de 15 a 20% no número de novos diagnósticos. E o problema disso é que quando não diagnosticamos cedo, esses pacientes chegam ao hospital em estágio mais avançado ”.

O médico explica que o problema está na particularidade da progressão da doença em cada paciente. Não é possível saber como cada um reagirá e o tempo que deve ficar em cada um dos estágios. O câncer é sub-dividido em quatro.

Segundo o Dr. Gustavo Ianaze, “no primeiro [estágio] a doença está isolada à área, na mama. No segundo, ela evolui um pouco, mas contínua na área. 

No terceiro, ela se expande para a região do entorno, axilas, peitoral e, na última, ele se espalha para o resto do corpo, podendo atingir os demais órgãos ”.

Com a chegada do mês que marca a conscientização e prevenção do câncer de mama, uma campanha Outubro Rosa era um dos grandes mutirões de diagnóstico feitos pelo HC. 

“Só ano passado iniciamos o tratamento de 2 mil novos casos, durante o período, este ano a estimativa é que cheguemos a 500 novos tratamentos”, explica.

Apesar da queda e das dificuldades, o HCAA informa que trata 9600 procedimentos / cirurgias por ano. Este ano, “as cirurgias paralisadas por causa da Covid, então vimos uma queda de 15% nesse tipo de procedimento”, afirma o diretor técnico.

Com isso, o Hospital do Câncer dá o pontapé à campanha de conscientização Outubro Rosa, nesta quinta-feira (1) às 9h30. “Não poderemos fazer os atendimentos que sempre comunicados, mas o período é importante para informarmos as mulheres da importância do exame do toque e procurar atendimento em caso de alguma irregularidade”, finaliza.

Fonte: Correio do Estado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here