Mato Grosso do Sul não tem cidades em grau extremo, mas 17 pioram classificação de risco

Municípios de Sidrolândia e São Gabriel do Oeste melhoraram os índices de contágio da Covid-19 e saíram da bandeira preta. Desta forma, nenhum dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul está classificado como grau de risco extremo.

Relatório situacional do Programa de Saúde e Segurança da Economia (Prosseguir), com o grau de risco de todos os municípios do Estado foi atualizado nesta sexta-feira (26).  

Conforme o relatório, 41 municípios mantiveram o grau de risco, 21 melhoraram e 17 pioraram, mas nenhum entrou na bandeira preta.  

Também não há nenhuma cidade no risco baixo.

Secretário de Governo, Eduardo Riedel, disse que a piora nas classificações evidencia a necessidade urgente de adoção de medidas para o controle da pandemia.  

Segundo o secretário, os indicadores do Prosseguir trazem recomendações observando a nota obtida em cada um deles.  

“Olhar apenas para o número de casos seria como olhar para o retrovisor, para o que passou. Nós precisamos olhar para frente e adotar medidas que evitem o avanço da doença, especialmente agora que registramos um aumento expressivo do número de municípios com piora da bandeira ”, explicou Riedel.

Campo Grande se manteve na bandeira vermelha, programada como risco alto.

Os municípios que regrediram na faixa de risco foram Alcinópolis, Antônio João, Bonito, Dourados, Eldorado, Glória de Dourados, Guia Lopes da Laguna, Ivinhema, Ladário, Laguna Carapã, Naviraí, Paranaíba, Porto Murtinho, Rio Brilhante, Selvíria, Tacuru e Vicentina.

Classificação

Para gerar a classificação, o programa avaliados indicadores municipais relacionados à disponibilidade de leitos de UTI, quantidade de Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s), busca por contatos de casos confirmados, redução da mortalidade por Covid-19, disponibilidade de testes, incidência na população indígena, redução de casos entre profissionais da saúde, redução de novos casos, fronteira ou divisão com estado que tenha aumento de casos e necessidade de expansão de leitos.

Confira a classificação:

Grau tolerável 

  • Agua clara
  • Bandeirantes
  • Bodoquena
  • Brasilândia
  • Douradina
  • Figueirão
  • Jaraguari
  • Novo Horizonte do Sul
  • Paraíso das Águas
  • Ribas do Rio Pardo
  • Santa Rita do Pardo
  • Três Lagoas

Grau médio

  • Amambai
  • Anaurilândia
  • Angélica
  • Antônio João
  • Aparecida do Taboado
  • Aquidauana
  • Aral Moreira
  • Bataguassu
  • Batayporã
  • Bela Vista
  • Caarapó
  • Camapuã
  • Caracol
  • Chapadão do Sul
  • Corguinho
  • Coronel Sapucaia
  • Costa Rica
  • Coxim
  • Deodápolis
  • Fátima do Sul
  • Glória de Dourados
  • Iguatemi
  • Inocência
  • Itaporã
  • Itaquiraí
  • Ivinhema
  • Japorã
  • Jardim
  • Jateí
  • Juti
  • Laguna Carapã
  • Maracaju
  • Mundo novo
  • Nioaque
  • Nova Andradina
  • Paranaíba
  • Paranhos
  • Pedro Gomes
  • Rio Negro
  • Rio Verde de Mato Grosso
  • Rochedo
  • Selvíria
  • Sete Quedas
  • Taquarussu
  • Terenos

Grau Alto 

  • Alcinópolis
  • Anastácio
  • Bonito
  • Campo grande
  • Cassilândia
  • Corumbá
  • Dois irmãos do buriti
  • Dourados
  • Eldorado
  • Guia Lopes da Laguna
  • Ladário
  • Miranda
  • Naviraí
  • Nova Alvorada do Sul
  • Ponta Porã
  • Porto murtinho
  • Rio Brilhante
  • São Gabriel do Oeste
  • Sidrolândia
  • Sonora
  • Tacuru
  • Vicentina

Fonte: Correio do Estado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here