Com aumento diário de casos, Guia Lopes relaxa isolamento

O município de Guia Lopes da Laguna – a 232 milhas de Campo Grande – aceita 50 novos casos adicionados ao boletim epidemiológico de Covid-19, de publicação pela Secretaria de Saúde do Estado (SES) neste sábado (23). Com isso, uma cidade chega a quase 200 casos confirmados, para uma população de 9.892 pessoas, com maior incidência de Mato Grosso do Sul e uma das maiores do país. Mesmo assim, durante esta semana, como medidas de isolamento foram flexibilizadas pela cidade.

Nos dados da sexta-feira pela manhã na cidade ainda registrada, 137 casos confirmados de novo coronavírus, entretanto, segundo secretário de saúde do município, Marcelo Gonçalves de Almeida, foram testados em massa no frigorífico da cidade, por onde a doença se espalhou, foi detectado mais de 50 casos que devem entrar no boletim de hoje.

“Dos 145 funcionários testados, 50 estavam com doença, e a maioria dessas pessoas não apresentou nenhum sintoma. Esse aumento já era esperado, nós sabíamos que não tínhamos testado todas as pessoas do frigorífico. Quantas pessoas que o pessoal do frigorífico acabou contaminando por não acreditar que não está com uma doença? Por não ter sintomas, essas pessoas acabam tendo vida normal ”, registrado ou secretário.

Esses novos testes que tiveram o resultado positivo na noite de quinta-feira, três dias depois de entrar em vigor decreto municipal, permitindo que alguns usuários, que antes estavam fechados por conta de quarentena implantada na cidade, ou “lockdown”, reabertos.

Mesmo com esses novos dados e com possibilidade de 50 pessoas contaminar outras 100 (estimativa da secretaria de saúde da cidade), a abertura do comércio segue o pé para o fim de semana, segundo o prefeito de Guia Lopes, Jair Scapini (PSDB) .

“Segunda-feira, vamos ver como está, mas essa reabertura foi feita com algumas restrições. E percebemos que o problema é que todos os casos ainda são de refrigerador ou familiar, portanto, existem seis que não são ”, avaliou Scapini.

Para o secretário municipal de Saúde do Guia Lopes, essas flexibilizações não são problemáticas, porque ele avalia o comportamento da população que tem sido o problema da cidade. “Nós percebemos que o problema não está nos produtos e sim na população, que continua a terteré. O comerciante não tem culpa, é uma população que está fazendo festa em casa e saindo de casa para visitar outras pessoas ”.

Dos cerca de 300 exames realizados na cidade, aproximadamente metade teve resultado positivo. Conforme o secretário, esse recurso é preocupante, mas é reflexo da pouca aceitação das restrições impostas. “Agimos com algumas pessoas verbalmente, porque não temos local para colocar pessoas que foram confirmadas como positivas. A ação foi mais orientada e solicitada para pessoas que não estão na rua ”

Apesar de manter uma restrição de circulação para apenas dois dias da população que não está trabalhando, uma medida pode ser comercializada, como bares, galerias comerciais, hotéis, pensões, conveniências, cultos religiosos, entre outros.

Em alguns lugares, como centros de comércio, lojas, galerias de lojas, mercados, farmácias, açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros, quitandas e centros de suprimentos de alimentos, é permitida a entrada de apenas duas pessoas no mesmo tempo. Já que as conveniências, por exemplo, podem atender exclusivamente à entrega e atendimento para entrega através de notas do estabelecimento até às 20h.

Além dessas reaberturas, o município já fala em reabrir ou frigorífico que foi o fio condutor para alastrar uma doença na cidade, que hoje tem incidência de 1.384,5 a cada mil habitantes.

Essas flexibilizações preocupam tanto o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, como também o secretário de Campo Grande, José Mauro de Castro Filho, cidade para onde vem os pacientes do Guia Lopes. “A situação é muito alarmante na região, não é o momento de flexibilizar e reabrir qualquer atividade que não seja essencial. Os números do frigorífico ainda não chegaram para mim, mas são os principais (50), vamos indicar o bloqueio do frigorífico ”, relatado.

“Se você reparar, a maioria dos casos do Guia Lopes é de jovens, se não tiver conscientização, vai cinco ou seis dessas rodinhas de contaminantes. Tenho entrado em contato com o Geraldo (Residente) para tratar a doença, inclusive disponibilizamos o Teleatendimento para outras cidades ”, afirmou Castro, referindo-se à principal forma apontada pela cidade como causa da proliferação do Covid-19.

Em todo o Mato Grosso do Sul, já são 805 casos confirmados de novo coronavírus, sendo 59 registrados na quinta-feira à sexta-feira.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here