2º GovLab aborda novas perspectivas para a gestão pública

Com o foco na transformação e inovação da gestão, a Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov) realizou, no início da semana (21/10), a segunda edição do GovLab, com a participação de 70 servidores interessados no processo de transformação da gestão pública do governo de Mato Grosso do Sul. O evento foi conduzido pelo facilitador Alexandre Guimarães, da consultoria Elo Group, que utilizou a metodologia ‘Espiral’ para envolver o grupo em desafios de transformação.

Esta foi a segunda edição do workshop gratuito, promovido pela Superintendência de Gestão Estratégica, por meio do Escritório Central de Processos (ECP) com apoio da EscolaGov, que apresentou diversos projetos para mostrar os desafios de se selecionar um portfólio considerando diferentes cenários.

“A grande novidade nesta discussão é a consideração do stakeholder, para quem estamos trabalhando, além da composição da equipe. É importante ter um time engajado, com iniciativa, que considere também o fator de articulação política, porque precisamos trabalhar de maneira equilibrada, de uma forma tecno-política. Então o desafio é, além de engajar a equipe, fazer com que o projeto seja efetivamente útil par ao cidadão e tenha a dimensão necessária para que se obtenha êxito”, explicou o superintendente de Gestão Estratégica, Thaner Nogueira.

O formato dinâmico e participativo, com desafios para solução em grupo, agradou os participantes que se envolveram nos cases apresentados: “Esse tipo de evento muda a nossa forma de olhar os problemas e as soluções. É uma metodologia nova e desafiadora que vem para romper a cultura e paradigmas”, destacou a servidora Talita Garcia Costa, da Agência Estadual de Defesa Sanitária (Iagro). “Eu acredito que cursos práticos, com mobilização e dinâmica formam, com muito mais realismo, os servidores para enfrentamento das questões. Embora os exemplos utilizados sejam genéricos, são muito interessantes por nos fazer raciocinar e extrapolar limites na solução dos problemas”, completou a servidora do Hemosul, Mayra Francheschi.

Servidores participaram de cases de desafios de transformação, utilizando a metodologia Espiral.

Sobre a metodologia, o facilitador Alexandre Guimarães, responsável pelo treinamento, explicou a proposta: “A Espiral é uma abordagem metodológica que gera uma reflexão sobre o que precisa ser feito, além do que normalmente os órgãos e entidades já fazem, para se conseguir resultados concretos em transformações e inovação. A metodologia lida com a necessidade de trabalhar com as dimensões técnica,  sócio-política e comportamental na elaboração de projetos. A intenção foi apresentar esses princípios e desafiar as pessoas, por meio de games e atividades, envolvendo raciocínios nessas três dimensões”, concluiu Alexandre.

Texto: Alexsandro Nogueira e Jéssika Machado (Segov MS). 

Fotos: Jéssika Machado.

Fonte: Portal do MS

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here