Com lâmpadas LED, Parque das Nações Indígenas melhora iluminação e garante eficiência energética

Termo de Cooperação Técnica firmado na tarde desta quinta-feira (23) entre o governo do Estado, por intermédio do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) e a concessionária dos serviços de energia elétrica no Estado, a Energisa, prevê a substituição de lâmpadas e implantação de um programa de eficiência energética no Parque das Nações Indígenas. Já em fase de desenvolvimento, o programa vai garantir melhor iluminação por meio de lâmpadas LED e ainda reduzir o gasto com energia, tendo em vista que esse material é mais econômico e tem maior durabilidade.

O Termo de Cooperação Técnica foi assinado pelo presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes, o diretor-presidente do Imasul, Ricardo Eboli, com anuência do governador Reinaldo Azambuja. Estavam presentes, ainda, o presidente da Assembleia Legislativa, Paulo Corrêa, o prefeito de Campo Grande, Marcos Trad, secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, entre outras autoridades.

Verruck lembrou que no entorno do lago principal do Parque das Nações Indígenas o Imasul já substituiu as lâmpadas convencionais por modelos LED, resultando num ganho importante de luminosidade. “Agora vamos levar essa melhoria para todo o Parque. Muitas pessoas gostam de fazer sua caminhada à noite, estarão mais seguras”, disse.

O projeto

A Energisa se compromete a investir o valor máximo de R$ 739.980,00 no projeto de eficiência energética, que tem o prazo total de 12 meses para ser implantado. Entre as intervenções acordadas está a substituição de 636 luminárias comuns por lâmpadas LED em toda a área do parque.

São três etapas de trabalhos: começou com a realização de diagnóstico energético por técnicos da Energisa que, após a aceitação do Imasul, passram à fase de identificação das soluções racionalizadoras; a concepção destas soluções e seu dimensionamento, segundo as alternativas identificadas; as especificações; os investimentos previstos; a elaboração do cronograma físico e financeiro; o dimensionamento das economias, o consequente estudo de viabilidade e a definição dos valores de referência.

O projeto está na última fase, a de implantação das medidas, que consiste na compra dos equipamentos e materiais, a realização de testes, correções e instalação. A Energisa se dispõe, ainda, a treinar os técnicos que farão a manutenção futura dos equipamentos. A Energisa será responsável pelo pagamento de todos os custos do empreendimento, sendo investimento não reembolsável, não exigindo participação financeira por parte do Imasul.

Investimentos

O secretário lembrou que, desde o ano passado, o governo do Estado já investiu mais de R$ 1,2 milhão em reformas e melhorias no Parque das Nações Indígenas. Foram reformados todos os Núcleos de Apoio Básico (são seis), que consistem em conjuntos de três edificações cada, contendo banheiros, dependências administrativas e espaço para cantina. Três desses núcleos foram disponibilizados para uso da população, nos outros três estão instalados uma corporação dos Bombeiros, a Polícia Militar e a administração do Parque.

 

João Herminio Prestes Viana – Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro)
Fotos: kelly Venturini

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here