Projetos que auxiliam nas ações de retirada da vacinação contra aftosa em MS em pauta na Assembleia

O Superintendente Rogério Beretta e o Coordenador de Pecuária Marivaldo Miranda, da Semagro, estiveram na Assembleia na manhã desta terça-feira (29.3), para discussão de duas importantes pautas referentes à sanidade animal.

Reunidos com o Deputado Zé Teixeira, foi debatido o projeto de autoria do parlamentar que busca, a exemplo do Estado do Paraná, a antecipação da retirada da vacinação contra febre aftosa, que, segundo o Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA) deve ocorrer em 2021 após o cumprimento de uma série de ações, por parte dos Estados.

Neste encontro Beretta falou sobre o cronograma de ações previstas para que Mato Grosso do Sul consiga cumprir com as 101 exigências do Ministério da Agricultura e Pecuária, e a importância de se fortalecer a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) para que as metas sejam alcançadas e a retirada da vacinação seja realizada com segurança.

Reunião do Deputado Zé Teixeira

Já em um segundo momento, reunidos ainda com o Presidente da Assembleia, Paulo Correa, Zé Teixeira, Marcio Fernandes, Londres Machado e Rinaldo Modesto, Beretta, Marivaldo e o Secretário de Fazenda, Felipe Mattos, buscaram fomentar um acordo de lideranças para votação do projeto de autoria do executivo que busca ajustar o estoque e atualizar o cadastro de bovinos de Mato Grosso Sul, este que também é um importante item, dentro do plano nacional de retirada da vacinação contra febre aftosa.

A Reserva Financeira para as Ações de Defesa Sanitária Animal (Refasa) – fundo criado em 2016 pelo governo do Estado que permitiu indenizar os criadores quando havia a necessidade de sacrifício de animais para erradicação de doenças, e que agora também custeará outras ações de defesa sanitária voltadas à retirada da vacinação, também foi discutida com os parlamentares e será tema de debate novamente naquela casa nos próximos dias.

Segundo Beretta, o foco principal da Reserva era a indenização dos produtores em caso de doenças, mas o conceito foi ampliado para atender também as ações preventivas no processo de defesa sanitária.

Kelly Ventorim – Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro). 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here