Convênio assinado por Marquinhos e Reinaldo deve liberar verba de R$ 169 milhões

Pelo menos R$ 169 milhões serão destinados para a Prefeitura de Campo Grande no intuito de melhorar a infraestrutura da cidade, após um convênio assinado nesta quarta-feira (20) pelo governador do Estado, Reinaldo Azambuja e pelo prefeito Marquinhos Trad no Paço Municipal, no gabinete do prefeito.

Os convênios preveem investimentos em pavimentação, drenagens e demais problemas que forem prioridades. A princípio, estão em ordem de utilização da verba a revitalização do Rio Anhanduí e outras duas PAC: mobilidade urbana e pavimentação.

(Foto: Marcos Ermínio)

O governo fez o repasse de R$ 15 milhões, que serão utilizados pela prefeitura para usar como uma contrapartida para desbloquear os recursos federais que deverão ser liberados de Brasília. A verba é suficiente para dar início às obras, sem o dinheiro do governo não teria como fazer as obras.

Marquinhos Trad afirma que os investimentos estão sendo feitos para o futuro, para ter visibilidade daqui vinte anos ou mais. “O futuro depende do presente. As obras vão gerar desconforto, mas estamos com a maior boa vontade”, afirmou em referência as obras do Reviva Campo Grande, alvo de reclamações dos lojistas.

O governador afirma que assim como Campo Grande, outros 79 municípios terão direito a esses convênios. “É importante para destravar os recursos que vem de Brasília, sem esse recurso a Prefeitura perderia os investimentos”.

Marquinhos Trad afirma que os investimentos estão sendo feitos para o futuro, para ter visibilidade daqui vinte anos ou mais. “O futuro depende do presente. As obras vão gerar desconforto, mas estamos com a maior boa vontade”, afirmou em referência as obras do Reviva Campo Grande, alvo de reclamações dos lojistas.

O governador afirma que assim como Campo Grande, outros 79 municípios terão direito a esses convênios. “É importante para destravar os recursos que vem de Brasília, sem esse recurso a Prefeitura perderia os investimentos”.

(Foto: Marcos Ermínio)

Obras previstas

A princípio, algumas obras que estão paradas por falta de recursos, deverão ser retomadas e se juntarão as novas obras que serão iniciadas ainda neste ano e estão avaliadas em quase R$ 120 milhões.

No PAC Pavimentação, o investimento deve chegar aos R$ 67,4 milhões cujo estão destinados para a pavimentação, drenagem e recapeamento no Jardim Anache, Santa Luzia e Jardim Belinatti – este concluído no final do ano – e do Complexo Tavares. Existe a previsão de que 50% dessas obras seja completada ainda neste ano.

Haverá também retomada e conclusão de obras nos Complexos Atlântico Sul, Seminário, Mata do Jacinto e Altos do São Francisco que devem receber recapeamento das ruas, pavimentação, construção de calçada e sinalização.

Ruas importantes também devem passar por obras e sofrerão com a interdição. A travessia da drenagem na Avenida Consul Assaf Trad, o que possivelmente eliminará os alagamentos no trecho que fica perto ao terminal Nova Bahia. Na avenida também ocorrerá a pavimentação e o recapeamento de trechos que correm até o Atacadão.

O Parque do Sóter também passará por manutenção na tentativa de controlar a erosão que surgiu. A revitalização do Rio Anhanduí terá R$ 36 milhões disponibilizados e devem estar finalizadas somente em 2020.

Para o PAC Mobilidade Urbana, estarão disponíveis R$ 15,9 milhões de recursos que deverão ser utilizados para o recapeamento e a finalização do corredor de ônibus da Avenida Bandeirantes e Rua Bahia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here