Filha de 15 anos presenciou morte de professora a facadas

Uma das filhas de Nádia Sol Neves Rondon, 38 anos, presenciou o assassinato da mãe, na madrugada de hoje, em Corumbá.

A professora levou mais de 30 facadas, conforme constatou a perícia da Polícia Civil de Corumbá. Inicialmente a informação era de cerca de 20 golpes.

Conforme o site Diário Corumbaense, Nádia a  havia saído com amigas, para comemorar o próprio aniversário. Quando retornou para casa, na alameda Adelina, bairro Universitário, foi atacada pelo ex-companheiro, Edevaldo Costa Leite, de 31 anos, que não aceitava o fim do relacionamento.

Os golpes atingiram as costas, tórax, rosto e braços da vítima. Testemunhas ainda disseram que viram o homem arrastando Nádia pelos cabelos para a rua e logo acionaram a Polícia Militar.

A filha mais velha de Nádia, de 15 anos, presenciou o crime bárbaro e ficou em estado de choque.

Os bombeiros também foram chamados, prestaram o atendimento emergencial e depois a removeram para o pronto-socorro. Em seguida, a professora foi encaminhada para o centro cirúrgico da Santa Casa de Corumbá, mas não resistiu.

Edevaldo Costa se apresentou no 1º Distrito Policial ainda pela manhã e foi preso por feminicídio, cuja pena varia de 12 a 30 anos de cadeia. Ele relatou que havia visto a professora com outra pessoa e isso teria motivado o crime.

No entanto, amigos de Nádia contaram que ele já vinha perseguindo-a, chegou a furar os pneus do carro dela e foi visto rondando a casa da vítima, o que reforça a tese de crime premeditado. Ele está em uma das celas da delegacia e deve passar por audiência de custódia, quando a Justiça irá decidir se o mantém preso.

TRANSLADO

O corpo de Nádia será trazido para Campo Grande, cidade onde a família dela mora. No entanto, até às 18h, amigos, colegas de trabalho e alunos, fazem o velório na capela Anjo da Paz, na rua Major Gama esquina com a Dom Aquino.

Nádia era professora de Língua Portuguesa e Inglês nas escolas municipais Pedro Paulo de Medeiros e Isabel Corrêa. Antes, também foi servidora do Estado na Casa do Trabalhador de Corumbá.

Uma campanha de doação voluntária foi realizada para arcar com os custos do translado e o valor arrecadado já cobriu as despesas. Professores e amigos que encabeçaram a campanha, informaram que nenhum outro valor é arrecadado e que o dinheiro que sobrar será enviado para as filhas, de 15 e 9 anos, e a mãe da professora.

Duas manifestações contra o feminicídio estão marcadas para esta segunda-feira (11) em Corumbá. Uma delas é organizada pelo movimento Mulheres da Frente Brasil Popular, às 09h, em frente ao cemitério Santa Cruz, na rua Dom Aquino.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here