Bobeou no carnaval e não usou camisinha? Veja como evitar a infecção pelo HIV

É carnaval, é folia, você bobeou e não usou camisinha. Calma: ainda dá para evitar a infecção pelo HIV, o vírus da Aids. A “PEP”, ou profilaxia pós-exposição, é um tratamento que pode diminuir em quase 100% as chances de infecção, mesmo após a exposição ao vírus.

HIV e Aids: qual a diferença?

O tratamento deve ser feito, preferencialmente, nas primeiras duas horas após a exposição, e no máximo em até 72 horas. A PEP é feita com o uso de medicamentos durante 28 dias, e a pessoa deve ser acompanhada por uma equipe de saúde, segundo o Ministério da Saúde.

Os remédios, no entanto, não dispensam o uso da camisinha nas relações sexuais — até porque só funcionam para o HIV. Eles não protegem de outras doenças sexualmente transmissíveis, como a sífilis, a gonorreia e as hepatites. E a profilaxia também não é para todos os casos.

“A PEP é recomendada somente para as relações de alto risco, ou seja, as que envolvem penetração — vaginal ou anal. Sexo oral é de baixo risco. A gente só recomenda quando a pessoa tem uma ferida ou há ejaculação na boca, porque aí o risco fica maior”, explica Vinícius Borges, infectologista no serviço público em São Paulo.

Mesmo durante o tratamento com a PEP, lembra Borges, não dá para dispensar o uso da camisinha. Por conta da chamada “janela imunológica”, o ideal é que a pessoa use o preservativo para prevenir outras infecções.

Brasil registra queda de 16% no número de detecções de Aids

Borges também destacou que os efeitos colaterais das medicações, como dor abdominal, são passageiros e não devem desestimular as pessoas a buscar a PEP. Quem tem outros problemas de saúde, como problemas renais ou convulsivos, pode usar um esquema alternativo das medicações, que também são seguras para gestantes.

Em 2015, pesquisadores no Canadá conseguiram demonstrar uma eficácia de quase 100% da PEP. Eles testaram o tratamento em 2,7 mil pessoas, a maioria homens, ao longo de 14 anos. Dessas, apenas uma se contaminou pelo HIV por conta de falha nos medicamentos.

Profilaxia pré-exposição

Além da PEP, também é possível fazer a profilaxia pré-exposição (Prep) — ou seja, antes de a pessoa entrar em contato com o vírus do HIV. Ela é uma combinação de dois medicamentos que bloqueiam alguns “caminhos” usados pelo vírus para infectar o organismo, de acordo com o Ministério da Saúde.

Mas o uso da Prep e da PEP também não dispensa a camisinha, diz o infectologista Vinícius Borges.

“Elas são todas só para o HIV. É recomendado utilizar a camisinha, porque a gente vive uma epidemia de sífilis, de gonorreia multirresistente. A gente fala de prevenção combinada”, destaca.

Os comprimidos da Prep precisam ser tomados todos os dias, e levam de 7 a 20 dias para fazer efeito (para relação anal ou vaginal, respectivamente).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here