Saúde ainda não sabe quantos imóveis serão abertos para vistoria

A Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) ainda não sabe quantos imóveis abandonados ou simplesmente fechados para locação ou venda serão abertos com base na ordem judicial para combate a possíveis focos do mosquito Aedes aegypti, que transmite dengue, zika e chikungunya.

De acordo com as informações, aproximadamente mil imóveis, apenas na região urbana do centro de Campo Grande, estão desabitados, e para fazer o trabalho de vistoria a prefeitura precisará de ajuda. Chaveiros devem ser chamados para abrir as residências para que os agentes possam atuar nos imóveis. Somente na região, a previsão é de que o trabalho seja feito em até 41 dias, isso se as equipes conseguirem abrir 30 casas por dia, cinco dias por semana. Conforme boletim epidemiológico da prefeitura, atualizado até quarta-feira, são 6.414 notificações de dengue.

Além da grande quantidade de registros, a prefeitura esbarra em outro problema.

O número oficial de imóveis deve aumentar, uma vez que, durante as vistorias, as equipes podem encontrar mais casas em que os moradores ou responsáveis não são localizados. São para esses casos, onde se esgotam todas as possibilidades, que a prefeitura pediu à Justiça autorização de acesso, a qual foi concedida na noite de 27 de fevereiro, pelo juiz David de Oliveira Gomes Filho, da 2ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here