Durante programa ao vivo, entrevistado é preso pela Polícia Civil

Servidor público municipal José Carlos Pereira da Silva recebeu voz de prisão durante transmissão de programa ao vivo em que ele era entrevistado, na Rádio Pantaneira, em Coxim. Investigador da Polícia Civil foi até o estúdio porque havia ordem judicial que impedia o servidor de citar o seu nome, na noite de ontem.

Nas imagens, é possível ver que, na entrevista, José Carlos faz declarações sobre policiais civis e diz que há alguns policiais bravos com ele. “Eu acho que o policial que é direito, ele não vai apoiar a safadeza de outro policial. Se eu fosse da polícia, eu ia denunciar todos os bandidos da polícia, igual eu faço na prefeitura. É dever da polícia, você está lá para defender e não para fazer o mal”, diz o servidor.

Na sequência, radialista começa a fazer considerações sobre a fala, quando o policial entra no estúdio, derruba José Carlos da cadeira onde ele estava sentado e o imobiliza no chão, afirmando que o entrevistado tem medida cautelar que o impede de citar seu nome.

O policial se levanta e dá voz de prisão para José Carlos. “Ele está me difamando, ele está preso, ele não pode falar meu nome. Liberdade de imprensa é uma coisa, mas o juiz te deu medida para não citar meu nome”, diz o policial.

Os dois deixam o estúdio e há novamente um princípio de confusão, quando José Carlos empurra o policial. “Tira a mão de mim, você está preso”, diz novamente o oficial. Toda a situação foi transmitida ao vivo.

De acordo com o investigador, José Carlos tem várias passagens pela polícia e vários processos. Há três dias, ele gravou vídeo onde faz injúrias e difamações contra o investigador e outro policial civil e foi preso e autuado em flagrante. Juiz concedeu a liberdade, com a condição de que o suspeito não falasse mais o nome dos policiais.

No entanto, um dia após ser solto, José Carlos foi até a rádio, onde voltou a fazer afirmações contra a polícia.

“Eu não invadi a rádio, eu fui até lá e disse que iria prendêlo porque ele descumpriu a medida. Precisei usar de força moderada e falei para o apresentador que ele também cometeu crime, pois estava incitando os comentários”, explicou o investigador ao Correio do Estado.

Tanto José Carlos quanto o locutor foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil. O servidor continua preso, pois descumpriu a medida judicial que era condição para sua liberdade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here