Carga recorde de cocaína foi pista para polícia chegar a paradeiro de Minotauro

A apreensão de uma carga recorde de quase uma tonelada de cocaína, no dia 22 de janeiro deste ano, em Mato Grosso do Sul, ajudou a polícia brasileira a chegar ao paradeiro de Sérgio Arruda Quintiliano Neto, o “Minotauro”, o novo chefão do narcotráfico que espalhou o terror na Linha Internacional nos últimos meses.

Minotauro foi preso na tarde de ontem (4) na Operação Teseu, da Polícia Federal. Teseu é o nome do personagem da mitologia grega que derrotou o minotauro, criatura mítica que habitava o labirinto de Creta.

O narcotraficante procurado no Brasil e no Paraguai vivia como milionário, se revezando em dois apartamentos que alugou em condomínios de luxo em Balneário Camboriú. Ele foi preso no Marina Beach Towers, onde o preço médio dos apartamentos é de R$ 3,2 milhões.

Localizada em um utilitário BMW X5, com placa e Brusque (SC), a cocaína saiu de Pedro Juan Caballero e estava sendo levada para o litoral catarinense por Ademir Amaro da Silva, 37, residente em Ponta Porã. Ele foi preso em flagrante por tráfico internacional.

A apreensão foi feita por policiais rodoviários federais após vários dias de monitoramento na fronteira. O serviço de inteligência havia detectado que um grande carregamento de droga seria retirado da Linha Internacional naqueles dias.

Os seguidos assassinatos e constantes operações policiais nos dois lados da fronteira criaram um clima de instabilidade em Pedro Juan Caballero e Ponta Porã.

Acuados, Minotauro e sua facção aliada, o PCC (Primeiro Comando da Capital), anteciparam o envio da cocaína, que tinha como destino o litoral catarinense, mas carga avaliada em R$ 50 milhões foi interceptada pela PRF de MS na BR-463.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here